quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Acordes (e não me deixe dormir)

São poucos acordes, que tocam uma única melodia: você. Nas minhas noite de insônia, em que passamos várias horas conversando assuntos aleatórios, era o que me acalmava e trazia alento.

Não era preciso sua voz, bastavam a música e suas mensagens. Minha mente, meu coração, meu corpo...Era uma calma universal traduzida em algoritmos e acordes, criados por você – e som melhor não havia do que a sua voz, quando se passavam os dias e eu desejava te ver.

Sobre o seu beijo? Gostei e nem tão cedo vou esquecer, pois tocava aquela sua preferida do Bon Iver quando nossos lábios se tocaram. Confesso que não sou bom com nomes de perfume (mal lembro o nome do que eu uso, se é que uso um), mas sei que o teu cheiro é inconfundível e sinto saudade de sentir.

Fui dormir com a mesma camiseta que te encontrei, assim teria você mais perto por mais tempo. Meu travesseiro passou dias com teu cheiro e me fazia pensar “Como seria se ela se deitasse aqui, se ela deixasse o perfume, se ela me abraçasse ao dormir?” mas, ao mesmo tempo, me convencia de que melhor do que pensar era, de fato, trazer você aqui.

Conversas, mensagens, músicas...Feita sob medida pra alguém que, por tanto tempo, tentou não ter medida nenhuma. No final, fui feito de acordes e sonhos.


Por isso, em respeito às nossas lembranças, te peço: faça eterno os acordes e não me deixes dormir um segundo sequer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário